Quadro Sombrio

Assim que o vi, senti calafrios,
Mas não pude definir o porquê.
Um quadro criado em mil e oitocentos
Que mostrava a figura de uma jovem, uma boneca e um bouquet.

A cena passava-se numa poltrona,
A menina tinha os lábios cerrados e os olhos vidrados.
Suas vestes possuíam toques majestosos e devidamente organizados.
Quisera ela possuir camiseta e chinela, para poder brincar e não coser sobre a poltrona…

Ao aproximar-me pude perceber que seus
Mimosos dedos adentravam a pobre boneca
Como se ali não houvesse matéria, e sim uma ilusão,
Um sonho que estava a desaparecer.

Descobri que tal menina já não podia
Ser menina nem brincar de boneca,
Pois boneca é para donzela descasada
e teu futuro já fora selado pelo bouquet.

Senti teu medo, incompreensão e angústia.
Por que deixar de ser menina?
Só para que o mundo seja mundo
E teu marido possa saciar seu desejo imundo?

Texto escrito em 21 de abri de 2006.

Anúncios
Esse post foi publicado em Crônicas e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s